quarta-feira, 30 de março de 2011

And I will wait...


E eu esperarei para descobrir
Se isso durará para sempre
E eu esperarei para descobrir
E eu não darei atenção
Preocupe-se com o tempo chuvoso
E eu não perderei tempo
Lembrando da nossa vida juntos.

Clarity - John Mayer

terça-feira, 29 de março de 2011


Tem coisa que dá vontade de viver de novo e de novo e de novo...

domingo, 27 de março de 2011

[...] ninguém pode ver.
















Eu preciso dizer ao contrário de tudo o que eu quero dizer, preciso mudar o sentido das palavras pra você não perceber, ou melhor, pra ninguém perceber realmente o que eu penso.
Eu aprendi ser forte pra não cair outra vez, mas é como se fosse uma missão impossível. Eu tenho medo de você, tenho medo do que eu sinto e eu sinto muitas coisas ao mesmo tempo.
Raiva, amor, ódio, desprezo, vontade, saudade...
Parece um carma na minha vida, parece que no final é isso que vai acontecer. Isso que a gente conversou tempos atrás, mas eu não sei se eu quero. Minha vontade agora era gritar tudo que tá aqui engasgado, dizer tudo o que eu quero e que se dane tudo. Mas eu ainda sinto mais ódio do que amor.

domingo, 20 de março de 2011

Pensamentos, sentimentos.


Eu pareço gostar desse tipo de sentimento. Esse, de só poder olhar e já se sentir bem.
O único problema é que eu nunca consigo ficar encarando, não sei se é vergonha ou se é porque a troca de olhares é intensa.
Sabe aquele arrepio quente que dá quando acontece algo bom? É sempre esse arrepio que eu sinto quando vejo você me olhando. Eu gosto disso, mas tenho medo e por mais que eu procure fugir, eu sempre acabo no mesmo pensamento e quando eu menos espero, eu tenho você por perto.
O pior de tudo é saber que lá no fundo você sente tudo isso também.
Mas às vezes é melhor só sentir. Por mim isso pode continuar, porque afinal, nunca vai passar disso.

sábado, 19 de março de 2011




E tudo o que eu preciso agora, é do seu abraço e das suas palavras. Não me importo que sejam as mesmas, eu só preciso ouvir você dizer que vai ficar tudo bem.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Talvez...


Eu não gosto mais de você, só não consigo entender essa saudade. E essa saudade significa que eu ainda gosto? Não sei e nem quero saber. Prefiro continuar na ilusão de que essa saudade veio do nada, por apenas lembrar dos bons momentos.
Eu chego a pensar que pode ser um segredo, mas não faz sentido, não mesmo. Eu prefiro negar, acreditar que não e continuar feliz, sim feliz. Só gostaria que esses pensamentos soltos fossem embora, pra sempre.
E apesar disso tudo, quando acontecer alguma coisa, eu estarei aqui pra você.
No meu sonho você disse: "eu estou livre pra você". Mas não precisa ficar livre, eu não quero mais, só quero esquecer. (Não sei se isso é verdade, mas se for mentira, prefiro acreditar nisso). Esquecer? Engraçado essa palavra. Na real, ninguém nunca esquece de alguém que foi importante na sua vida, mas o legal disso tudo é que só ficam as lembranças boas.
E chega, já me contradisse muito por hoje.

terça-feira, 8 de março de 2011

Eu.


Eu gosto desse silêncio, mas do silêncio lá de fora porque o silêncio aqui de dentro insiste em gritar, ele me sufoca.
Às vezes eu me basto e outras vezes eu canso de mim. Não aguento tanto eu comigo, preciso de um tempo. Mas se não fosse eu, nada iria fazer sentindo, eu sou para mim a unica razão de viver. Eu sou inteira, não preciso de complemento, não existe metade para uma maçã inteira.
Agora, se hoje eu pudesse, faria desse silêncio uma eterna bagunça, em mim. Talvez, eu precise tirar férias de mim, do silêncio lá de fora e do silêncio aqui de dentro.

Eu sei, nada faz sentido. PRA VOCÊ.

quinta-feira, 3 de março de 2011

(...) e voe por todo mar e volte aqui pro meu peito.


Nada parece claro, tudo fica meio confuso e você já não sabe mais o que sentir.
Quando a certeza vira duvida e você fica completamente perdido.
O que se faz quando seus sentimentos te transforma? Como agir quando as coisas mudam do nada?
É normal se sentir perdido no meio de todo mundo? Talvez haja algo errado comigo, pois nada faz sentido agora.
Só queria ser quem eu era, sentir o que eu sentia e poder sorrir de verdade.

'E se eu sumisse, você sentiria a minha falta?'