domingo, 30 de janeiro de 2011

Eu quero mais.


É sempre amor, mesmo que acabe, com ele aonde quer
que esteja. É sempre amor, mesmo que alguém esqueça
o que passou.
E mesmo que acabe, tudo aquilo que cabe no coração
não se apaga e uma vida inteira não é suficiente pra
esquecer.
Não importa que tipo de amor, ele sempre permanece e
o importante é viver um dia de cada vez, fazer valer
a pena esse sentimento.
E hoje eu tô aqui, pra dizer
que o importante, é amar. Ame, você mesmo ou outra pessoa,
não importa, apenas ame.

'Eu quero paz, quero amor, eu quero fé, eu quero mais'.

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Coisas da viagem.



Nesse final de semana eu viajei com a minha família para Santa Catarina, na casa de um dos meus tios. E toda vez que eu vou para SC, eu me apaixono pelo Estado e pelas cidades. São limpíssimas, da´até vergonha da "minha" cidade, mas enfim.
Às vezes eu tenho vontade de não voltar mais, queria ficar lá, mas é a vida né...

Na estrada tinha um rio ENORME que não acabava nunca, sem falar que quando estávamos chegando em Lages, presenciamos um pôr do sol lindoooo, só não foi mais lindo que o nascr do sol que eu vi na praia uma vez.
A cidade é bem agitada, mas parece ser bem calma, se é que me entende.
Ah, meu tio pagou quarto pra gente em um dos hotéis mais chiques de lá, achei exagero, mas tio rico é outra coisa né?! O namorado da minha prima atentou todo mundo durante a madruga, digo, todo mundo da família haha. Foi super divertido (:

Aaaaah, eu estou completamente apaixonada por SC, sem noção, se eu pudesse me mudava pra lá já!
E cada vez que eu estou com a minha família eu vejo o quanto eles são importantes e o quanto eu os amo (: Tirando o meu tio chato daqui de Paranaguá né, que se acha o melhor de todos, o sabe tudo, o fodão! Ele é um saco, mas fora isso foi tudo maravilhoso.

Eu adorei tudo, tudo! Obrigada família (:

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Firework


Se libertar daquilo que te sufoca, se ver livre do sofrimento.
Poder sorrir depois de uma tempestade, olhar para o céu e ver que ainda há estrelas que brilham para você, ser forte o suficiente para poder sobreviver em um mundo que não é só seu.
Como fogos de artifícios, é só mostrar do que você é capaz.. Como fogos de artifícios, é só deixar as suas cores explodirem.

"Cause baby you're a firework
Come on show 'em what your worth
Make 'em go "Oh, oh, oh!"
As you shoot across the sky-y-y "



domingo, 2 de janeiro de 2011

Por um momento.

Por um momento eu cheguei acreditar que algumas coisas eu conseguiria deixar em 2010, mas eu percebi que existem coisas que eu vou levar pro resto da minha vida, comigo, aqui dentro. É como tentar rasgar uma foto e não ter coragem, é como querer emagrecer e não ter força de vontade o suficiente, é como entrar num rio e não sentir frio, é como comer seu doce preferido sem vontade.
Eu usei todas essas metáforas só pra dizer que por um momento eu pensei que poderia esquecer uma coisa inesquecível. Não, eu não estou sofrendo ou mal por alguma coisa, eu apenas queria que pensamentos fossem deletados como arquivos, entende?
Por um momento eu pensei que era possível mudar de pensamento e de objetivos, pensei que eu poderia sorrir sem ser um sorriso congelado por momentos que não voltam mais. Talvez isso aqui não faça sentido para muita gente, pois são sentimentos meus, são meus pensamentos, coisas minhas. Sabe quando você guarda coisinhas em uma caixa, tipo, lembranças? Então, eu sou essa caixinha, só que eu estou lotada de lembranças, recordações. Chega um dia em que você precisa jogar algumas coisas foras, pra diminuir as lembranças ou então lembranças que não são mais necessárias. O único problema é ter coragem suficiente pra fazer isso, porque afinal de contas, se essas coisas estão na caixa, é porque foram importantes um dia.

Hoje eu assisti o filme 500 dias com ela, e nossa, eu percebi o quanto eu estou me tornando a Summer, porque afinal de contas, a vida da gente acaba sendo um filme e nem todo filme tem final feliz. Mas acho que isso deve ficar pra outro post.

Ah, eu só pensei por um momento que eu poderia fazer algumas coisas diferentes, tentar fazer algumas coisas voltarem a ser como eram ou pelo menos tentar fazer algo em relação a isso. Não sei como eu consegui ficar tanto tempo parada, é como se eu tivesse me acostumada com a situação, é como se tivesse terminado, como se tivesse chegado o fim da vida. E na real, se tivesse chegado o fim eu não estaria aqui pensando em fazer algo. Se é apenas por um momento ou não, não importa, ainda há tempo.

02/01/2011 às 21:26